sexta-feira, 27 de setembro de 2013

O dia que eu peguei uma jóia!

Pra quem me conhece, sabe que eu tenho um estilo, digamos, peculiar. Amo acessórios diferentes. 
Vivo encontrando bijuterias legais por aí, mas um fato menos conhecido é que gosto muito de jóias, as de verdade! (Obvio que não vou dizer "Vivo comprando jóias legais por aí, não tenho grana pra isso! hahaha) Mas o fato é que gosto, e por isso entendo pelo menos o bem básico... a pureza dos metais, a lapidação da pedra e por aí vai. 
Por conta disso, achei extraordinária a comparação da Mari sobre o assunto... vale a leitura! Especialmente para homens, mesmo que o assunto seja "jóias"



Certo dia eu estava refletindo sobre o valor das mulheres e também sobre aquela famosa comparação da mulher virtuosa com o valor de um rubi. Fiquei durante um bom tempo muito intrigada no assunto e tentando ir à fundo na minha filosofia sobre o que isso realmente significava.

Parei e pensei na comparação de uma bijuteria com a jóia verdadeira e qual é a diferença no processo que um homem precisa passar para obter alguma delas. Supondo que um homem quer comprar uma jóia para a sua amada, não qualquer jóia, estamos falando de um rubi, que tal? Para começar este não poderá ser "qualquer" homem, certo?

Antes de tudo, terá que encontrar uma joalheria que tenha um rubi à venda, algo não tão comum, o cliente precisará estar no mínimo bem vestido (ninguém vai comprar jóias de chinelo e regata, certo? É uma ocasião especial!). 

Terá que enfrentar as vendedoras profissionais do ramo e ainda por cima provar que tem condições de pagar por aquele produto, dinheiro este, que normalmente não é relacionado à 1 dia de trabalho, se considerar o valor de um rubi (pode passar de R$ 100.000), mas sim muitos, ou seja, muito suor para adquirir uma "simples" jóia.

A cantora Beyoncé, ao lado do marido usando lindas jóias com pedra de esmeralda.

Já o homem que quiser comprar uma bijuteria para a sua amada já não passará tanto trabalho pois o que ele procura pode ser encontrado rapidamente em qualquer lojinha de esquina. Não precisará estar arrumado, muito menos entender do assunto para saber qual comprar. O preço não passará de 1 ou 2 dias de trabalho (para uma pessoa de classe baixa). 

Não será necessário muito cuidado para guardar e manter, no final todas as bijuterias acabam parando no mesmo potinhos, cheios de outras peças que com o tempo perdem o brilho e a cor.

Deste mesmo modo é a mulher que se valoriza ao ponto de ser comparada com um rubi  e a mulher que não sabe quem ela  é e nem o seu valor, ao ponto se parecer com uma bijuteria. A diferença é clara, é gritante. Muitos homens queriam ter dinheiro e condições para adquirir coisas caras, inclusive jóias, mas não são todos que podem ter um rubi nas mãos. Será necessário trabalho e dedicação.  Somente compram jóias os homens que sabem o seu valor.

Achei a minha comparação incrível, ótima e edificante, mas parecia que eu ainda não conseguia entender a profundidade disto tudo. No outro dia, chegando no trabalho, tive que atender uma cliente, do tipo muito chic e elegante, o trabalho dela é vender jóias. Conversa vai, conversa vem, e cliente olha para mim e diz:

- Você está afim de encher o olhos? Me deixe te mostrar algo.

Ela se virou e tirou da bolsa diversas jóias incrustadas de diamantes, colocou na minha mesa e perguntou o que eu achava. Olhei aquilo e não pude acreditar, eu tinha quase R$ 50.000 em mãos, na minha frente. Foi assustador, nunca tinha passado por algo parecido. Se eu deixasse algo cair no chão, arranhar ou perder, logo estaria com uma dívida muito gorda que eu nem teria condições de pagar.

Elogiei as peças, claro, nem mexi muito e fui logo devolvendo, provavelmente demonstrando um claro nervosismo em ver tanto "dinheiro" em minha mesa. A cliente sorriu, guardou e logo depois foi embora. Naquele momento eu entendi o real sentido da minha comparação de jóias e bijuterias.

Kate Middleton usando uma das jóias mais poderosas do mundo.

Eu queria muito ter dinheiro para comprar um anel da minha cliente, o mais simples que fosse, mas não tinha. Não são todos que podem obter jóias, não são todos que podem obter você! Saiba que você tem um valor para Deus e a palavra diz que o valor de uma mulher virtuosa não é o mesmo que o de um rubi, mas muito mais caro!


Confie em Deus, busque a sua Palavra e se valorize. Seja essa mulher que tem um valor altíssimo, aquela que não perde o brilho e nem o valor com o tempo. Seja uma jóia!




Texto original da Mari no http://www.passarelaestreita.com quem quiser conferir, só clicar aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário